Coordinación del sistema agroindustrial de carne: determinantes de acuerdos contractuales entre productores y procesadores en Uruguay

Tesis de Maestría en Economía, Departamento de Economía, Univ. de São Paulo, Brasil.

ABSTRACT:

Quais os determinantes da escolha do arranjo contratual nas transações entre produtores e
processadores de carne bovina no Uruguai? A pergunta problema se insere no estudo dos
mecanismos de coordenação associados ao problema do controle da produção para dar
respostas às novas preocupações e demandas dos consumidores. A coordenação do sistema
agroindustrial (SAG) da carne bovina uruguaia adquire maior relevância, não apenas para dar
garantias de produtos seguros e com atributos específicos de qualidade aos consumidores, mas
também para reagir rapidamente frente a mudanças e para explorar as oportunidades que o
acesso a mercados de alto valor oferece (exporta-se 75% da produção). Coexistem diversos
arranjos contratuais, dentre os quais o arranjo direto e via intermediário são os dominantes.
Abordagem teórica: Economia dos Custos de Transação que focaliza a compreensão dos
motivos que explicam a emergência e adaptação de arranjos contratuais em resposta aos
desafios de ganhos de eficiência “economizando” nos custos de realização das transações
entre os agentes econômicos. Método: Foram analisadas as mudanças no ambiente
institucional e organizacional nos mercados finais e no Uruguai; as novas oportunidades e
estratégias no SAG da carne bovina; e o SAG uruguaio desde o consumo à produção. De
modo particular, analisou-se a transação produtor-processador no que se refere aos arranjos
contratuais existentes e às dimensões da transação (especificidade dos ativos físicos e
humanos envolvidos na produção e processamento, locacional, freqüência e incerteza). Foram
identificados os determinantes da escolha dos arranjos contratuais dominantes (direto e via
intermediário). Por último realizou-se um teste estatístico das relações causais identificadas
com painel de dados do total das transações realizadas no Uruguai (77.000 transações,
2004/2005). Resultados: Encontrou-se relação estatisticamente significativa entre a escolha do
arranjo contratual na transação produtor-processador e os determinantes identificados. Uma
transação tem maior probabilidade de se alinhar com o arranjo contratual direto (mais
coordenado) quanto maior o grau de especificidade dos ativos envolvidos na produção e
processamento do produto transacionado (ex.: novilhos precoces), quanto menor a distância
entre o produtor e o processador, e quanto maior a freqüência das transações entre as partes
envolvidas. O arranjo contratual direto facilita a coordenação das transações que envolvem
produtos com atributos de maior qualidade. Os intermediários apresentam vantagens em
transações de produtos genéricos (menor grau de ativos específicos) e com baixa freqüência
de transação entre o produtor e processador envolvido. A busca por qualidade envolve
investimentos específicos na produção e processamento e, em conseqüência, maior
dependência bilateral entre os agentes dessas atividades. A dinâmica do SAG e o negócio da
carne bovina dependem de dois conjuntos de produtos -baixa e alta qualidade- ligados a
mercados diferentes. O subsistema que orienta as estratégias na busca de produtos de maior
qualidade envolve arranjos mais coordenados. Do presente trabalho decorrem implicações
para os atores do SAG e para as políticas públicas setoriais em torno a uma “estratégia país”
com foco em produtos cárnicos de alta qualidade e valor.

(DOWNLOAD)

Más vistos

Rebaja salarial y empleo: Los trabajadores perdieron 800 millones de dólares en un año.

Autor: Carlos Grau Pérez * Tú ves las cosas y te preguntas ¿Por qué? En cambio yo sueño y digo ¿Por qué no? (1) En China durante el gobierno...

Impuesto del 1% a la enajenación de semovientes. Evolución y propuesta de cambio.

Autor: Gustavo Viñales Guillama (*) Un poco de historia tributaria El denominado comúnmente cómo “impuesto del 1% a la enajenación de semovientes”, es un impuesto creado...

Fiscalidad Inter-gubernamental y Sistema de Transferencias Financieras entre el Gobierno Nacional y los Gobiernos Departamentales de Uruguay

Autores: Fernando Lorenzo, Gustavo Viñales, Juan Pablo Jiménez, Fedora Carbajal y Rafael Mosteiro Resumen: En este trabajo se presentan los fundamentos económicos de los distintos mecanismos que conforman...

Inflación nuevamente estable en mayo, y se prevé una moderación en junio

La inflación mensual se ubicó en 0,5% en mayo, una cifra acorde a lo esperado (se ubicó dentro del intervalo de probabilidad de 50%...

La economía crece 0,6% en términos desestacionalizados durante el primer trimestre de 2022

La información de Cuentas Nacionales publicada de hoy por el Banco Central del Uruguay (BCU) da cuenta de un aumento de la actividad económica...

Noticias relacionadas